sinto-me de fora. não conheço o sol, não conheço a lua, o cheiro da terra e do mar. a minha visão não passa para além das paredes que me olham todos os dias. a minha voz é abafada pelo barulho dos que me rodeiam e o meu grito de socorro é o meu silêncio. o meu coração vai-se despedaçando lentamente e congelando aos pequenos bocados. sinto-me como o vento, fria, transparente e passageira. nunca nada fica comigo.

2 comentários:

Anónimo disse...

ficam sim, tens amigas, beatriz... elisa.. carolina

laura disse...

talvez isso seja apenas a imagem que passa, as coisas não são assim.